ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

sábado, julho 15, 2006

 

Ficção

No relambório sobre a crítica, A. M. Seabra escrevia a dada altura que a área de ciências sociais do Mil-Folhas está muito fraquinha. Hoje, o livro de Pulido Valente, já objecto de crítica e de entrevista ao autor no jornal, é criticado por Eduardo Pitta. Prova de que Seabra tinha razão? Não, até da disjunção entre crítica de ciências sociais e crítica literária eu discordo. Mas sugestivo, em todo o caso. O público dos livros de Pulido Valente não é o que se interesse por História mas por romances. A editoria foi judiciosa em não tratar o livro como ciência. E o crítico provou que sabe do seu ofício. De novo, mas suspeito não pela última vez, a crítica não morreu, mudou de função.
CL



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?