ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

terça-feira, abril 04, 2006

 

«A Censura Proprietária» (Rui Tavares)

Em crónica do último sábado (01/04/2006), no jornal Público («A Censura Proprietária»), Rui Tavares afirma que «Couves & Alforrecas não se estende por ilações morais e nem sequer por argumentações literárias». Se a primeira parte da frase está correcta, a segunda merece objecção. No pequeno livro da grande ®, faço considerações sobre:

1) quase indiferença da crítica em relação aos textos de ®;
2) temas centrais e estrutura narrativa dos livros de ®;
3) caracterização do perfil das personagens;
4) as estratégias de ® para criar um efeito de realidade nos leitores;
5) a questão da alternância dos pontos de vista;
6) o estilo (onde se incluem, aí sim, as repetições);
7) erros ortográficos e de sintaxe;
8) ideia de originalidade em literatura baseada em David Lodge;
8) no posfácio refiro, ao de leve, a questão da identidade dos escritores com sucesso comercial mas sem reconhecimento da crítica.

Se isto não são argumentos literários então não sei o que são argumentos literários. Estão pouco desenvolvidos, falta-lhes complexidade intelectual, precisavam de mais notas de roda-pé, referências eruditas, etc.? Concedo. Mas não era esse o objectivo, de todo, do livrinho (nem a matéria-prima de ® se presta a grandes complexidades analíticas). Tratar o problema da literatura light ou pop, e respectivas audiências de um ponto de vista sociológico, isso já é outra coisa (ainda este ano sairá, pela Fundação Calouste Gulbenkian, um livro sobre práticas de leitura onde a questão é analisada desse prisma).

Sobre a ausência de argumentos literários no Couves & Alforrecas, a crónica do Rui Tavares pareceu-me pouco rigorosa e injusta. Quanto ao resto, à questão da propriedade intelectual, da propriedade industrial e, finalmente, da liberdade de expressão, assino por baixo.



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?