ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

 

Ansiedade de Status

O sucesso económico é um dos grandes objectivos que as sociedades ocidentais inculcam nos seus cidadãos. Para alcançar esse objectivo, as sociedades, naturalmente, colocam à disposição meios legítimos: o ensino e o trabalho árduo. Esta uma distinção fundamental para se perceber o problema do sonho americano da sociedade aberta, analisado no programa de Alain de Botton. A mobilidade social ascendente é possível para todos. Basta querer, basta lutar por isso (seguir os tais meios legítimos socialmente definidos) e nunca, mas nunca desistir.
No final da década de 1950, o sociólogo americano Robert Merton defendeu uma teoria notável que abriu uma brecha na perfeição do modelo. «Social Structure and Anomie» (1957), o nome do artigo onde Merton apresenta a sua visão sociológica do desvio e da marginalidade social. Tradicionalmente, o crime é visto como um comportamento levado a cabo por alguém que transgride, logo rejeita as normas e os valores sociais. Merton veio afirmar o contrário. O que leva muita gente a cometer crimes - como roubar - é precisamente o desejo de cumprir esse objectivo de sucesso económico, mostrar que não se falhou. Viver numa boa casa, conduzir um carro topo de gama, vestir roupas de marca, em suma, consumir conspicuamente, são tudo formas de exibir esta coisa muito simples: eu cheguei lá, eu consegui realizar o objectivo.
A sociedade cria uma apetência quase absoluta pelo sucesso e especifica um conjunto de meios normativamente legítimos para a satisfazer. Todavia, a estrutura de recursos económicos não permite que todos alcancem e cumpram esse objectivo. Ou seja, os meios são escassos. Por exemplo, não há trabalho para todos e, quando há, raramente corresponde às habilitações escolares de cada um. Isso cria frustrações, principalmente entre aqueles que se sentem postos de parte. O desejo continua lá, os instrumentos legítimos para o satisfazer é que falham. Apenas alguns conseguem aceder a eles. O desvio surge quando se verifica esse fosso entre os objectivos culturais e as capacidades oferecidas pela sociedade. A forma como muitos resolvem a situação é virando-se para diversas formas de desvio/crime. Nesta perspectiva, o desvio não é mais do que uma forma alternativa (ilegítima) de alcançar os mesmos objectivos (legítimos). A anomia é assim uma disjunção entre objectivos e meios, entre valores culturais e estruturas sociais/económicas.
Em muitas formas de transgressão o que está em causa não é pois uma rejeição da sociedade e dos seus valores. Pelo contrário, é uma vontade indómita de se sentir integrado, de mostrar que se cumpriu os objectivos propostos. A questão torna-se ainda mais complexa se pensarmos que há profundas contradições entre os valores centrais definidos pelas sociedades: poupança vs. consumismo; trabalho vs. hedonismo; solidariedade vs. competição.
Ansiedade, pois claro. Haverá alternativa? O programa de Alain de Botton continua na próxima semana, segunda-feira, às 22h e 30m. Veremos.



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?