ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

domingo, janeiro 29, 2006

 

Mais do mesmo

Assim vale a pena conversar. Só por isso valeu a pena escrever o texto das toupeiras. A questão do gosto que atirei ao Pedro Mexia remetia para isto: quando o José Mário Silva escreve sobre o Nuno Costa Santos o gosto nunca pode ser visto como desinteressado. E remetia também para um juízo talvez errado: encarei o post do Pedro Mexia sobre Pacheco Pereira como uma defesa corporativa. Claro que escrever um prefácio não tem nada que ver com escrever crítica num jornal. O crítico que escreve num jornal deve reger-se pelas regras do jornalismo em geral, ou estou a pensar mal? A crítica perdeu hoje muita da importância que tinha? Não concordo. Pelo contrário. Há mais gente com ensino superior que lê jornais, revistas, internet, logo mais exposta e receptiva aos textos de crítica jornalística. Responderás: se é mais instruída a sua capacidade de discernimento é maior logo menos dependente do trabalho do crítico. É uma meia verdade. Porque a maioria não é especializada em letras nem trabalha no meio. Depois, há cada vez mais livros a serem publicados, logo as actividades de selecção e de divulgação mais decisivas se tornam. Que os prémios literários (os portugueses) tenham perdido muito do seu poder, julgo que sim. Tudo indica que sim. Agora, caro Pedro, quando um livro é sugerido por ti no DN claro que as probabilidades de ele vender mais exemplares não são desprezíveis. Que o José Rodrigues dos Santos não precise de crítica para vender mais livros, pois está claro que não precisa para nada, mas por outras razões. Mas isso é uma excepção, não a norma.
Quanto ao resto, remeto para o meu post imediatamente abaixo: Os AMIGOS. Acho que responde e dá razão ao exemplo sobre o Gonçalo M. Tavares, referido pelo Pedro Mexia.



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?