ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

sábado, outubro 29, 2005

 

Cinco horas para viver

Enquanto entorno o café por cima de um pastel de nata acabadinho de engolir, leio o Diário de Notícias. Na página 38, entrevista a Jean-Paul Dubois, com o sugestivo título de “Nunca gostei da literatura francesa”. Uma frase como esta reclama atenção. E uma pausa na cafeína. Na página ao lado, frase em destaque: “Faço todos os dias o mesmo: escrevo pouco e vivo muito. Não há melhor fórmula para fazer um livro do que viver bastante. Não acredito na imaginação”. Ora aí está, penso. Começo a gostar deste gajo. E, afinal de contas, quem és tu, Dubois? Jornalista do Le Nouvel Observateur, já escreveu 17 romances, leu todos os livros de John Updike, gosta de escritores como Bukowski, Richard Ford e Cormac McCarthy e acaba de ser traduzido na Asa: Uma Vida Francesa, romance vencedor do Prémio Femina em 2004. Fui lendo, até esbarrar nisto: “Trabalho 14 horas e escrevo oito páginas por dia. Não descanso”. Bolas, então o tipo não dizia que escreve pouco e vive muito. Dou por mim enredado em cálculos, contas de cabeça. Um dia tem 24 horas, tirando as 14 em que está a escrever, ficam 10. Dessas 10, digamos que Dubois aproveita 5 para dormir. Restam outras 5. O que é que um bípede pode fazer nessas cinco horas? Aceitam-se sugestões. Escrevam-me. Ensinem-me a viver em 5 horas o que o Dubois escreve em 14.



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?