ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

sexta-feira, abril 01, 2005

 

O jornalismo

Já falámos sobre isto: quem vem para o jornalismo não estará, certamente, à espera de enriquecer. Milhares de outras profissões no mundo garantirão uma vida mais estável, confortável, prazenteira, do ponto de vista das coisas que se podem comprar com o valor monetário do nosso esforço.
Mas recai sobre o jornalista uma bênção, uma pequena graça divina que se pode tornar inestimável se lhe soubermos ser sensíveis: o jornalista viverá muito mais vidas do que aquelas que o Criador, à partida, lhe ofereceu. É certo que o paga com a própria pele: tem de se tornar um especialista instântaneo em todas as coisas, todos os dias. De manhã, pode estar a entrevistar um economista húngaro acerca do alargamento da União Europeia e, à tarde, ter de dissertar sobre a História dos portugueses na China (conheço um caso real…). E, no dia seguinte, chega à redacção com a mesma disponibilidade para abrir livros pela primeira vez, em idiomas de que, até aí, nunca quisera ouvir falar.
No entanto, o pagamento acaba por chegar. Tudo correndo bem, ao fim de poucos anos de carreira, o jornalista aprendeu o relativamente essencial sobre todas as áreas relativamente essenciais. E ainda sabe um conjunto de coisas acessórias que não mudarão o mundo, mas fazem sempre jeito à mesa, durante uma boa conversa.
Sobretudo, no meu caso, esse trabalho é premiado com o conhecimento de outros pais e outros mestres que aqueles que se teve na idade do crescimento. Ainda hoje me foi dada a oportunidade de passar a tarde em mais uma conversa inesquecível com um vulto grande da cultura portuguesa contemporânea. Do mesmo modo, nunca esquecerei o que aprendi com outros 15 ou 20 grandes homens que jamais teria tido a oportunidade de conhecer se não tivesse optado por não ser rico.
E, afinal, isto ainda agora começou.
Alexandre



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?