ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

quarta-feira, março 09, 2005

 

Tiago a meio do cemiterio

A Fórmula 1, como desporto, já não existe. Há anos que não existe. Servirá para os meninos ricos brincarem, para as marcas fazerem publicidade, para a indústria automóvel desenvolver protótipos, para os mecânicos exibirem a sua perícia e tentarem pulverizar, consecutivamente, o recorde da mudança mais rápida de um jogo de pneus. Nada mais. Como competição, como desafio, expectativa, imortalização e crucifixão de heróis, não serve para nada. Não tem paixão nem dúvida nem surpresa nem invenção. É pouco mais que geometria.
Não acredito que o próprio Schumacher não o sinta, não o tenha por absolutamente certo. Que o seu lugar na História não tem o sabor que sonhara em miúdo, vendo correr os seus ídolos. Onde estão os Mansell, os Prost, os Senna, Piquet, Alboretto, Lauda e por aí adiante? Schumacher tem um olho em terra de cegos; é uma espécie de Zidane a jogar no Desportivo de Mafamude; a beleza onde não existe ninguém para a contemplar e invejar.
Agora, chegou Tiago Monteiro. Regressa um português às pistas dos 300 km por hora, com carros esquisitos e motores ensurdecedores. Vem depois de Nicha Cabral, Pedro Matos Chaves, Pedro Lamy. E está na Jordan, uma equipa melhor do que aqueles tiveram ao seu tempo. Também cumprirá um sonho de criança, também terá visto os Prosts e os Sennas e sonhado ser como eles. Mas também saberá que vai correr a meio de um cemitério - a infância da arte automóvel, mas, do ponto de vista humano, um cemitério.
Noutro tempo, vibraria com a notícia e ficaria ansioso pelo início do campeonato. Hoje, tudo o que posso fazer é prometer que voltarei a tentar ver um grande prémio. E desejar que Tiago desiluda o menos possível os projectos que tinha quando era menino.
Alexandre



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?