ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

sexta-feira, março 04, 2005

 

Os novos pregadores

A imprensa adquiriu proporções invulgares. O quarto poder, que mais não deveria ser que uma voz crítica e atenta aos três tradicionais, um pensamento e um discurso sobre os factos, transformou-se, ele próprio, em facto. Aguarda-se, com expectativa, a saída do semanário; passa-se o dia numa agitação para confirmar ou desmentir a manchete do diário sensacionalista; gente demite-se por causa da entrevista concedida ao jornal de referência.
A luta entre eles torna-se mais cerrada. Quase semanalmente, uma publicação surge com renovações gráficas ou editoriais ou novos colaboradores e secções; aparecem e desaparecem periódicos. Os craques, as vedetas, são negociados entre os grandes, como se houvesse, no final, uma taça a erguer e adeptos a quem oferecer o deleite. Desdobram-se, então, em ofertas, copiam-se despudoradamente uns aos outros, com colecções, CDs, DVDs, livros, encicoplédias, histórias e manuais para a arte de voar sem brevet.
Mas o lado mais negro dos nossos periódicos é outro: a total hipocrisia. Porque, se querem guerrear entre si, não cometem nenhum pecado na tábua de valores do mercado empresarial; o problema é a suposta moralidade. Censuram-se procuradores, juízes e advogados por fugas de informação que os próprios publicam; atacam-se os políticos por todos os flancos, em tom paternalista e professoral, por quererem um mediatismo que eles próprios lhes ofereceram; censura-lhes a promiscuidade, quando foram eles a convidar ex-governantes a escrever uma coluna que lhes garanta mais 10 mil leitores.
E enquanto se julgam arautos dos bons costumes, algures num partido, alguém prepara o convite envenenado para vir brincar ao outro lado do jardim.
(Bem sei que critico a própria classe. Mas isso deve, por si só, garantir que não confundimos a árvore com a floresta.)
Alexandre



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?