ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

quarta-feira, março 02, 2005

 

O Pais precisa de amigos

“Pessoa é um dos meus escritores preferidos. Deitaram abaixo Salazar e agora têm um governo decente. O terramoto de Lisboa inspirou Voltaire a escrever Candide. E Portugal ajudou milhares de judeus a fugirem da Europa durante a guerra. É um país bestial. Eu nunca lá estive, é claro, mas, queira ou não queira, é lá que eu vivo agora. Não, Portugal é perfeito.”
Por que parecem tão estranhas estas palavras? Por que razão nos dão vontade de rir ou, pelo menos, libertar um sorriso de piedade? E, no entanto, não foram escritas por nenhum lunático ou noutro século qualquer. É Paul Auster quem as diz, pela boca de Sidney Orr, o seu protagonista em A Noite do Oráculo, romance lançado no ano passado nos Estados Unidos, ainda que grande parte da acção decorra em 1982.
Fui surpreendido por elas ontem, enquanto avançava na leitura. E não evitei o sorriso. É verdade que a passagem “agora têm um governo decente” soa a delírio. É tão usada entre nós como “já não posso com este calor” por um siberiano ou “a Angelina Jolie é tão feia” por qualquer homem terráqueo. Mas, em tudo o resto, estão certas. E deixam de fora, obviamente, milhares… Pronto… centenas de coisas boas de que nos poderíamos orgulhar.
E, no entanto, há quanto tempo nenhum de nós diz ou ouve dizer isto: “Portugal é perfeito”? Quanto tempo levarão políticos e comentadores a perceber que jamais um pessimista terá ganho o que quer que fosse e que, como qualquer empresa, equipa, projecto, pessoa, um país só se ergue se correr atrás da ilusão de perfeição? Portugal precisa de amigos, amigos que, com frases como “Ela não te merecia” ou “Vais ver… O teu patrão ainda te vai implorar para que voltes.”, nos devolvem a confiança.
AB



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?