ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

segunda-feira, março 07, 2005

 

A impossivel luta contra o descaramento

Desde pequeno que oiço dizer: “De quem não tem vergonha, todo o mundo é seu.” Todos os dias a frase me parece mais acertada. Foi sempre assim. Há um poder estranho na audácia dos desavergonhados que nos desarma; ultrapassa a razão e, por isso mesmo, nos deixa sem argumentos. Pensem em como é mais complicado discutir com um ignorante do que medicina com um médico ou ciência com um cientista - não dá, não é possível. O desavergonhado contradiz-se ao seu bel-prazer, de um minuto para o outro; questiona tudo, até o estarmos ali, se for preciso; ao mesmo tempo, tem certezas absolutas de coisas que estão, inevitavelmente, “cientificamente provadas”, conforme lhe dê jeito; não reconhece uma única fonte de verdade do nosso discurso e por aí afora. No fim da conversa, sai, como é obvio, vencedor, de queixo erguido, todo inchado, perante o nosso desespero. Poucas coisas nos alteram tanto o batimento cardíaco e a nossa posição humanista sobre os maus tratos ao próximo como isto.
Ao assistir às peças noticiosas sobre a campanha eleitoral ou pré-campanha ou o que lhe quiserem chamar, é esse sentimento de impotência que me assalta. Sinto-me trancado num manicómio, tentando dialogar com autistas e esquizofrénicos. Um está convencido de que é o Napoleão; o outro de que é o Humphrey Bogart; o outro de que ainda vivemos o tempo da queda dos Czars; enfim… E, no meio da loucura, da total ausência de vergonha na cara, estarão convencidos, mais do que do esquecimento do povo, da verdade da sua própria mentira.
Como não sei dialogar com eles, dia 20 respondo só com uma cruz, uma cruz a todo o tamanho do boletim de voto, uma cruz da qual espero que nenhum deles ressuscite nem ao terceiro dia ou nem ao quadragésimo.
Alexandre



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?