ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

segunda-feira, fevereiro 07, 2005

 

La culpa es de uno

Mario Benedetti ensinou-nos que a culpa não é nem dos pretextos, nem do tempo, mas daquele que não se faz enamorar. Benedetti falava do amor entre pessoas. Os partidos, como se sabe, são como as pessoas, mais exactamente, como as mulheres. Para que as relações entre eles vinguem, os partidos têm que saber fazer-se desejar.
Vejamos o PC. O PC não sabe. Todos os dias o PC diz que está disponível. Isso é não saber. O PC parece uma velha desdentada de perna aberta; sucede que desejo não é exactamente o que velhas desdentadas de perna aberta inspiram. É por isso que ninguém lhe vai pegar. A ideia de que no dia 20 de Fevereiro à noite José Sócrates vai bater à porta da Soeiro Pereira Gomes de sapatinho na mão para ver se serve no pezinho de Jerónimo é pura fábula. Jerónimo é uma abóbora e abóbora permanecerá para sempre.
Com o Bloco o jogo é outro. Como alguém dizia, «no balls, no babies». O Bloco é uma menina diferente, daquelas que fazem género, mais exactamente o género difícil. Diz todos os dias que não está disponível. Aprendeu bem a lição de Benedetti e não esqueceu nada. Sabe, por isso, fazer-se desejar. Para o governo não vai, acordos parlamentares talvez. Faz lembrar as pressurosas meninas da Opus Dei que, por não entregarem nunca a virtude, só fazem fellatios, em compensação.
Filipe/Rui



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?