ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

terça-feira, fevereiro 08, 2005

 

Eric Roberts não é um autor, é um Auteuil

Eric Roberts é uma figura fascinante, não sendo, repare-se, um actor que me fascine. Para começar, é um homem que, de tão parecido com a irmã, se torna feio. Já está. Este é exactamente quanto tempo se consegue falar de Eric Roberts sem falar da sua irmã, Julia Roberts: nenhum. Eric Roberts vive na carne o drama que Daniel Auteuil vive no celulóide, em «Ma saison préférée». Se ser irmão de Julia Roberts é difícil, sê-lo de Catherine Deneuve é devastadoramente perturbante. O que tem faltado a Eric na vida é um Techiné que o saiba mostrar e, desavergonhadamente, explorar. Faz filmes de acção, com muita porrada. A maior parte dos papéis para que é escolhido são, adequadamente, para esquecer, e eu esqueci. No seu melhor, chega a ver Tommy Lee Jones lá ao fundo; no seu pior, consegue ser pior que Steven Seagal. O problema de Eric não é ser um canastrão, é ter pretensões. Veja-se, por exemplo, o filme que o canal Hollywood passa hoje e que se chama «Festa de despedida», e há outros. Eric supõe que enquanto fizer de canastrão nunca deixará de ser «o coitado do irmão de Julia Roberts». Correcto. Supõe também que a melhor maneira de se emancipar da irmã é tornar-se um autor. Incorrecto. Como Charlie Sheen e Emílio Esteves mostram, a melhor maneira de dois irmãos se emanciparem não é fazerem filmes artsy, é não usar o mesmo nome. Depois, Stallone escreveu e protagonizou o primeiro «Rocky» antes e não depois de «Rambo». Relembro que «Rocky», filme independente e de autor, ganhou os Oscares para melhor filme, melhor montagem, e melhor realização e que Stallone foi nomeado para melhor actor e melhor argumento (parece que Stallone escreveu o argumento em três dias; não se estranhe por isso a autobiografia de Alexandre Frota). O problema de Eric não é ser um mau actor (algo em que poderia chegar a ser bom), o problema é achar que isso não chega; que não lhe chega ser o irmão feio e sem talento de Julia Roberts.
Rui



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?