ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

sexta-feira, janeiro 21, 2005

 

Um livro espantoso de Manuel Alegre

Um grande livro de memórias. Manuel Alegre revisita a infância em Águeda, a casa da família, as conversas dos velhos republicanos que conspiravam com a avó Beatriz, as brincadeiras de rua, o berlinde, o botão, as futeboladas, os namoros no adro da igreja, as caçadas com o pai, o colo da mãe, as criadas atrevidas que levantavam as saias, a escola, os retratos de Carmona e de Salazar, os colegas de carteira, o professor de cigarro no canto da boca, as tardes quentes de Verão no rio, as histórias de arrepiar à noite, o cheiro das fogueiras, as cenas de pancadaria com os miúdos das frequesias vizinhas, as provas de coragem e de virilidade. Tudo aquilo que faz da infância um mundo fantástico e inesquecível. Dificilmente encontraremos na literatura portuguesa dos últimos anos um livro com o talento, a simplicidade e a boa-disposição deste Alma. Nele sentimos a melancolia do poeta e a mestria narrativa dos melhores prosadores, com o calão e a gíria perfeitamente integrados na linguagem literária. E depois há o humor, natural, sem ser forçado, como na cena do jogo de futebol entre o Beira-Rio e o Vista-Alegre ou nas discussões, bem regadas, entre republicanos e monárquicos. “Alma, dizia eu. Como quando era pequeno e dizia mãe”. Do princípio ao fim, lê-se de um fôlego.

João Pedro



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?