ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

segunda-feira, dezembro 27, 2004

 

Ler Pode Reduzir o Fluxo de Sangue e Provocar Impotência

À semelhança do que acontece com os maços de tabaco, também os livros deveriam incluir na capa, em letras garrafais, aquele tipo de avisos fúnebres. Considero mesmo um escândalo que a União Europeia, o Governo e o Dr. Fernando Pádua não tenham ainda feito nada a esse respeito. É inaceitável que um poeta como Álvaro de Campos continue a afirmar, impunemente, coisas deste calibre: “E vou tencionar escrever estes versos em que digo o contrário.//Acendo um cigarro ao pensar em escrevê-los/E saboreio no cigarro a libertação de todos os pensamentos./Sigo o fumo como uma rota própria,/E gozo, num momento sensitivo e competente,/A libertação de todos as especulações/E a consciência de que a metafísica é uma consequência de estar/mal-disposto.// Depois deito-me para trás a cadeira/E continuo fumando./Enquanto o Destino mo conceder, continuarei fumando”. Ora, a Assírio & Alvim, que detém o exclusivo da obra do poeta, deveria ser legalmente obrigada a incluir, nas capas, nas contracapas e nas badanas dos livros de Álvaro de Campos avisos como “FUMAR MATA”; “Fumar provoca o cancro pulmonar mortal”; “Para o ajudar a deixar de fumar, consulte o seu médico ou contacte o seu farmacêutico”; ou “Os fumadores morrem prematuramente”. Aliás, grande parte da obra do engenheiro algarvio é um convite explícito ao consumo de cigarros, pelo que certos versos deveriam ainda remeter esses avisos para notas de roda-pé:

1) “acendo o cigarro para adiar a viagem” e “na gare, de cigarro aceso”[1];
2) “Nunca fiz mais do que fumar a vida”[2];
3) “Sabe-me a náusea próxima o cigarro”[3].

As editoras deveriam também ser obrigadas a introduzir outro tipo de informações. Por exemplo, em todos os livros deveriam constar aviso como: “Este produto foi submetido a um rigoroso controlo de qualidade realizado em laboratórios independentes. Se não estiver totalmente satisfeito devolveremos a totalidade do seu valor”; ou “Qualquer sensação de irritação ou ardor durante a leitura indica que o seu cérebro está particularmente sensível. Se tal acontecer, remova o livro adundantemente com água. Se a sensação persistir, procure aconselhamento médico”.


[1] FUMAR PREJUDICA GRAVEMENTE A SUA SAÚDE E A DOS QUE O RODEIAM!
[2] FUMAR PODE PREJUDICAR MORTE LENTA E DOLOROSA!
[3] O FUMO CONTÉM BENZENO, NITROSAMINAS, FORMALDEÍDO E CIANETO DE HIDROGÉNIO!

João Pedro



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?