ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

sexta-feira, novembro 26, 2004

 

Felizmente havia outro

É pá, um gajo pode ter muitas gajas. Ou muitas gajas podem possuir um gajo. Um gajo pode gostar de comida tailandesa ou finlandesa ou só da mãezinha. Ser contra o sistema métrico. Um gajo pode gostar do Vasco Granja, do Vasco Gonçalves ou do País Vasco. Ler Feuerbach e ouvir Clemente. Estar demente. Um gajo pode ter três telemóveis, um ror de amantes, múltiplas personalidades. Carros. Chaves. Seguros de vida. Um gajo pode até ser padre. Gostar mais do Lennon, ou mais do Harrison ou mais do Paul. Ter como banda favorita os Peter, Paul & Mary. Ler a Bíblia. Ter andado no Externato Luso-Soluço. Ser um urso. Um gajo pode andar nos trocadilhos anónimos ou nos escuteiros. Fazer um crisma e depois outro. Um gajo pode ter manias esquisitas e manas esquisitas. Pode ter tido um cão chamado Brás Cubas. Ter gostado de ir à China e nunca ter saído do Cais do Ginjal. Um gajo pode e deve ambicionar ter Curzio Maltese por pseudónimo. Ou chamar-se António. Mas o que um gajo tem de certeza só um, e sempre o mesmo, e usa sempre esse até se estragar é – um único cinto. O meu morreu ontem. Rui



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?