ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

terça-feira, setembro 14, 2004

 

Vamos jogar a uma coisa (X)

Não achas que chegou o momento de ires ao bar? Então agarra nestas folhas e enfia com elas na mala, levanta-te e inicia a travessia do comboio. Eu espero-te lá. Não as tires para fora antes de chegares à carruagem restaurante.
Cá estamos. Estiveste na fila, pediste um café e uma água mineral. Está muita gente no bar. Apesar disso, encontraste lugar num banco, tiraste da mala o jornal que está agora aberto à tua frente, por cima da mesinha de plástico cinzento, e recomeças a leitura. Quem sabe se enquanto atravessavas o comboio tiveste a mesma ideia que eu? Alguém, neste comboio, lê esta história. Lê, e porventura lendo sorri, e se calhar diz de si para si: ora essa, que engraçado, o que é que deu aos tipos do «Le Monde»? De repente, lê que tudo se desenrola no TGV Paris-La Rochelle das 14.45, Sábado, 20 de Julho. Soergue as sobrancelhas, levanta os olhos do jornal, e tem um breve instante – de vertigem seria um exagero – mas, enfim, de desconcerto, relê a frase e diz para consigo: ò diabo, é neste comboio! E, um momento depois: mas então a rapariga de quem se fala, a destinatária, está também ela aqui no comboio! Seja homem ou mulher, coloca-te no seu lugar. Tu não acharias excitante? Não procurarias perceber quem ela é, esta rapariga? Não dispões de qualquer descrição física, que eu tive cuidado com isso, mas dispões de um indício, e de um indício extremamente preciso: sabes que entre Poitiers e Niort, isto é, entre as 16.15 e as 16.45, ela deverá estar no bar. O que farias? Ir ao bar. Eu, de qualquer modo, iria. Leitor, leitora, isto é um convite, não fiquem de lado a fazer crochet, entrem na valsa: peguem no vosso exemplar do «Le Monde» como se fosse uma senha, e compareçam no bar.
Rui



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?