ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

segunda-feira, setembro 13, 2004

 

Tomar banho

Era uma vez o Senhor Deus. Como se sabe, Deus criou primeiro o Homem, mas depois criou logo a Mulher. Antes de soprar a voz de Natalie Merchant, um pouco como os operários da Marinha Grande sopram os cristais, o Senhor pensou numa coisa para o homem e a mulher fazerem juntos. «Banho», pensou Ele. «Tomar banho.» E o que Deus quis dizer com «tomar banho» era na verdade «banho de imersão». Isto mesmo me parece claro. Todos os banhos deveriam ser banhos de imersão para que os homens e as mulheres fossem felizes. O duche já pertence limpamente à época de fall from grace, que se reconhece pela profusão dos seguintes aspectos: uma maçã, uma cobra, uma voz a falar ao telemóvel, e o período da mulher. Como uma iluminação que chega por acréscimo, Deus inventou ainda o duche para o homem e a mulher poderem «tomar banho» quando ela está com o período. Não é o mesmo, não Sr., mas ainda é «banho». Rui



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?