ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

sábado, setembro 04, 2004

 

Metropolitanos

Uns 4, 5 anos atrás, sentado a meio de uma carruagem do metropolitano, guardei um momento insólito. Por cada uma das portas das extremidades, na mesma estação, entraram dois pedintes invisuais: um talvez próximo dos seus 60 anos, o outro nos 30,com uma voz nasalada e aguda. Individualmente, estava habituado a vê-los; eram, de certeza, então como agora, os dois pedintes invisuais mais trabalhadores do comboio subterrâneo. Via-os mais, muito mais vezes, que a qualquer revisor da Metro de Lisboa. Ainda sem se aperceberem da presença do outro na ponta mais distante da carruagem, iniciaram a sua cantilena: "Tenha a bondade de me auxiliar. Tenha a bondade." Mas não a chegavam a terminar. Após duas ou três palavras, ouviram-se um ao outro e, nesse instante, viram-se a si próprios, a sua condição, o seu lugar, o seu espectro. Calaram-se. Parecia um duelo, eu estava certo de que um duelo aconteceria. Mas ficaram calados, calados até à estação seguinte. O mais velho saiu. O mais novo, da voz nasalada, prosseguiu viagem, mas sempre em silêncio, quieto, sem cantilena, sem estender a mão a ninguém.
Passou todo este tempo. Nunca mais me recordara desse episódio.
Ontem, 3 de Setembro, com a composição cheia de gente com uma evidente energia de quem ainda agora começou tudo de novo, os dois homens voltaram a cruzar-se. Desta vez, entraram pela mesma porta. Deram, depressa, um pelo outro. Cumprimentaram-se gentilmente, com os rostos desencontrados. "Então, estás bom?" E o outro: "Óptimo. E tu? Pensei que ainda estavas de férias..."
Ainda há acontecimentos que me escapam às palavras.
Alexandre



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?