ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

quinta-feira, agosto 05, 2004

 

Photomaton

A morte de Henri Cartier-Bresson fez-me recordar a penumbra em que parecem recair os nomes de todos os grandes caçadores e, não poucas vezes, inventores de imagens, sejam eles fotógrafos ou operadores de câmara.
Até parece estranho que, cumprido o século da imagem, a praça pública não tenha retido, pelo nome próprio, quase nenhum destes indivíduos que fizeram e fazem de nós, dia após dia, a geração que mais mundo viu. Porque não estão eles ainda no mesmo panteão dos escritores e mesmo dos jornalistas do texto, dos pintores ou, pelo menos, dos pivots de noticiários?
Nós aprendemos a reter os rostos e, só depois, a colocar-lhe um nome em legenda. E, ironicamente, estes homens e mulheres vivem ocultando a sua face, em nome de nos providenciar a dos outros. Nenhum de nós esteve no Vietname ou em Pequim, no Iraque ou na Somália. Não arrancámos um pedaço ao Muro de Berlim ou avistámos, ao longe, o cogumelo gigante de Hiroshima. Mas aprendemos todas estes acontecimentos, interligámo-los e compreendemos o mundo em que vivemos graças a eles. Na frente de batalha, ao lado dos feridos, rente aos disparos, nas cidades sitiadas onde nehum estrangeiro seria bem-vindo.
Da próxima vez que comprar a National Geographic ou visitar a World Press Photo, em que levar consigo um jornal pela sua primeira página magnética ou saltar da poltrona com o que está a ver no seu televisor, mergulhe mais fundo e não se fique pelo que lhe é mostrado. Pense no que foi preciso para que você pudesse estar, tranquila e confortavelmente, em casa, a contemplar a beleza e o horror do tempo em que vive.
Alexandre



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?