ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

quarta-feira, agosto 04, 2004

 

jornalismo



O jornalismo tem uma parte muito chata – as entrevistas à última hora por telefone; a angustiante obrigação de andar atrás de personalidades que nos despacham em dois minutos; a tarefa de desgravar entrevistas que parecem não ter fim. Mas o jornalismo - o jornalismo das histórias e das pessoas – enriquece sempre, sob o ponto de vista humano, quem o faz. Uma grande reportagem, uma entrevista de fundo ficam para a vida. Nunca nos esquecemos delas. Servem-nos de ensinamento sobre a condição humana. E, neste regresso aos jornais, sempre que me sento em frente ao computador, sentam-se comigo todos aqueles – a equipa de cuidados paliativos de Odivelas e os homicidas passionais em Vale de Judeus, por exemplo - que fizeram parte do meu passado de free lance. Nuno



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?