ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

quarta-feira, agosto 04, 2004

 

Há que tempos que não recebia correio...

O Fernando Madeira teve a amabilidade de me enviar um e-mail acerca do post que escrevera ontem, "Super-heróis", corrigindo alguns erros - o que muito agradeço -, mas confundindo algumas coisas que, mea culpa, talvez não tenham ficado claras. Aqui, o que começara por me parecer uma epístola atenciosa, culmina numa agressividade que não percebo, mas com a qual também não me vou preocupar muito.
De qualquer maneira, vamos lá às correcções e esclarecimentos.
O Maradona não foi suspenso no Mundial de 96 porque, evidentemente, nesse ano não houve Mundial nenhum, mas sim o Europeu de Inglaterra. Portanto, o homem sofreu o castigo dois anos antes, nos Estados Unidos, pouco tempo depois de ter feito um golaço à Grécia no tempo em que os helénicos ainda levavam de 4 para cima.
Depois, ao que me conta o Fernando, Armstrong já fez para aí meia-dúzia ou mais de gestos semelhantes àquele que tanto me encantou em Miguel Indurain.
Pela primeira (gralha), peço desculpa. Pela segunda (erro), também peço, mas não muito, dado que só mostra aquilo que afirma o post: que deixei de ver ciclismo desde que Indurain o abandonou.
De resto, o Fernando acaba a dizer que o desporto não precisa de adeptos como eu e que, portanto, não se perdeu nada em ter ido cantar para outra freguesia e que confundo o essencial com o acessório - to make a long story short.
Caro Fernando, é exactamente disso que eu estava a falar. De que, no desporto, gosto é dos primeiros amores, não da exploração dos limites do físico humano. Da paixão, não dos recordes. Da afeição irracional que depositamos numa das equipas e não nas regras do jogo. Por exemplo: porque é que o Portugal-Inglaterra foi tão especial? Porque Postiga, Rui Costa e Ricardo exibiram, muito mais que o seu talento desportivo, a sua humanidade - coragem, orgulho, vingança e medo.
Espero que todas as modalidades evoluam sempre e tenham nas bancadas entusiastas como você, os que estão na primeira linha. A mim, interessa-me escrever sobre afectos.
Alexandre



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?