ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

quinta-feira, agosto 12, 2004

 

«Há coisas que já não estou disposta a aceitar. Eu já não tenho vinte anos»

Ao ouvir isto, comecei a prestar atenção. Eram duas raparigas a almoçar na mesa ao lado. A que já não tem vinte anos já não tem, de facto, vinte anos. Tinha o cabelo apanhado atrás, sardas e fumava maravilhosamente, como num filme. Braço direito no ar, cotovelo apoiado no braço da cadeira; braço esquerdo cruzado sobre a cintura, mão esquerda a tocar no cotovelo direito. O fumo a elevar-se no ar continuando a linha vertical do braço. Perfeito. Foi a primeira e, infelizmente, a última coisa que lhe ouvi. Isto porque a amiga, a que estava do meu lado, não deixou.
«Ai o pôr-do-sol, é pá, era mesmo lindo», disse a amiga. Calou-se e ao fim de dois minutos repetiu a mesma frase, palavra por palavra. A outra fumava e olhava, fumava e olhava. «Temos que ligar à Daniela, que ela merece imenso». E telefonou logo. Falava muito alto e dizia tudo de uma forma demasiado expressiva, dramática mesmo. Comecei, por isso, a olhar para o corpo dela à procura de indícios; para o corpo não, para a postura. «Ai, o pôr-do-sol, emocionei-me, e desatei a chorar»: e repetia isto incessantemente. Muito direita, inclinada para a frente, veemente. O corpo, de ginásio e praia, estava afinado e retesado por uma compulsão qualquer. «Bem, tinha tantas saudades tuas, é que tinha mesmo» e repetia também isto, alternando com o pôr-do-sol. A outra continuava calada, a fumar. «Olha, sabes, sinto-me bem, sinto-me mesmo bem. O pôr-do-sol, era lindo lindo. Estou tão feliz...olha vou ligar à Teresa que ela merece imenso.» A outra apagou o cigarro, olhou de soslaio para o relógio e virou-se para pedir a conta, mostrando-me finalmente o nó em que prendia o cabelo. Rui



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?