ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

sexta-feira, julho 09, 2004

 

Director's cut

De entre os múltiplos episódios da saga em que se tornou para nós, analfabetos da html, a criação deste blog (e que, a seu tempo, virão a público numa obra em volumes, distribuída com a edição de sábado do Correio da Manhã), queria referir, desde já, o da feitura da epígrafe.
A malta esmerou-se em estilos e piadas, frases inteligentes e apelativas e, no fim, o malfeitor do blogger só aceitava 500 caracteres. Caiu, então, por terra a ideia de incluir uma versão reduzida da Sibila, da tia Agustina, no cabeçalho, mas fizemos finca-pé nas restantes intenções.
Cá vai, então, a epígrafe no seu director's cut:

ESPLANAR v.t. (lat. esplanare - ainda que não seja pacífico afirmar que as pastelarias do império romano tivessem esplanadas). Acção de contemplar o mundo a partir de uma esplanada; movimento de trazer à linguagagem o que se vê debaixo de um guarda-sol, com a tranquilidade de um dia de calor. O mesmo que esplanar, mas numa esplanada.
Explicar, expor ou desenvolver, sentado numa cadeirinha de plástico da Olá! Ave, Caesar, esplanaturi te salutant! (Salve, César! Os que vão esplanar te saúdam!) - segundo Suetónio, as palavras pronunciadas pelos gladiadores, depois do combate e antes de uma cervejinha, diante da tribuna imperial. "As armas e os barões assim esplanados / que da ocidental praia lusitana (...)" - começo do poema imortal de Camões Os Lusíadas. Quem esplana, seus males espanta - dito popular. Gaba-te, cesto, e não vás à vindima - outro dito popular de que nos lembrámos agora, sabe Deus porquê, mas que não vem ao caso.

Primeiro mandamento da Lei de Borges: Nunca se desperdiça uma piada...
Alexandre



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?