ESPLANAR

JOÃO PEDRO GEORGE
esplanar@hotmail.com

sexta-feira, abril 01, 2005

 

Monólogo do Taxista

...isto hoje está um trânsito cão... o que é que acha, vamos talvez ali pelo Campo Santana, descemos à rua das Pretas... subimos depois à Praça da Alegria... fica mais longe mas é mais rápido... às vezes as pessoas não percebem certos trajectos que fazemos...

(baixa o volume do rádio)

... isto é que está aqui um dia parvo, hem? E o que é que me diz daquela cegada da Casa Pia? Adiaram o julgamento, já viu? Isto é um país da treta! Andam a gozar connosco... e o senhor televisão? Aquele nunca me enganou, a mim nunca me enganou... aquilo era entregá-los ao povo, isso sim... era capá-los a todos e não violavam mais ninguém... o senhor desculpe-me, mas às vezes apetece-me atirar com o barro à parede... e aquele ministro com contas na Suíça? Como é que se admite uma coisa daquelas? Isto é uma sociedade que nunca mais cresce. Isto já não tem conserto. Temos cá homens que se governam, não que governam. Como é que querem desenvolvimento? Falam todos muito bem enquanto não estão lá... uma vassourada, isto está a precisar é de uma vassourada...

(o táxi buzina para um condutor velhote que faz pisca para a direita e vira à esquerda)

Ó cara minhocas, foi a avó que te emprestou o carro, não? Abre os holofotes... Olhe para ele... ali... agarradinho ao volante como se fosse um rebuçado...

(gargalhada ruidosa)

...isto tem de ser tudo posto na ordem. O senhor repare uma coisa, na nossa casa, sim, porque a nossa casa é como um país, um pequeno país, se não está tudo em ordem... sabe quanto é que eles me comeram, nas finanças? Nem queira saber... A minha mulher, por exemplo, tem andado doente... são quase 500 euros todos os meses, só em medicamentos, fora outras despesas... Já ouviu falar nesta doença, Alzheimer? Olhe, era uma palavra que nunca tínhamos ouvido lá em casa... Aquilo é o diabo... perde-se quando vai ao cabeleireiro... no outro dia fui ao frigorífico e sabe o que é que encontrei lá dentro? Os sapatos da minha mulher... Mesmo doente é a minha companhia. É a pessoa que mais gosta de mim... Quando nos conhecemos eu ainda não usava calças compridas... aquela mulher, quando era nova era um borrachinho, uma brasa... conquistar aquela mulher era como escalar uma fortaleza... Sabe, não estou preparado para a morte da minha mulher... já não tenho idade para estar sozinho... mas uma pessoa tem de estar preparada... todos morremos mais cedo do que queríamos... já fui ao banco pedir um empréstimo para uma jazida... é o preço de um apartamento... também, não vale a pena deixar nada... depois ficam cá os outros a desmanchar as casas...

(um carro buzina insistentemente, ouvem-se insultos)

... quê, quê, quê?... que é que tu queres?... vai ladrar para a tua rua... tás armado em cão com pulgas? Deves ‘tar com saudades da comida do hospital... olhe pra ele, todo assanhado como um gato fechado... onde é que aprendeste a conduzir? Tu percebes é de ópera... segue o teu caminho... isto [o carro] é uma arma que a gente traz aqui nas mãos... já viu aquilo... estupidez... e vaidade... é o que há mais por aí... e a vaidade, se formos a ver bem, é outra forma de estupidez...

(faz estalar as juntas dos dedos e penteia depois o cabelo de maneira a esconder a calvície; levanta o volume do rádio, começam as notícias. “10h e 58m, menos uma hora nos Açores... T... S... F... a rádio em directo... uma rádio para ler o mundo... Temperaturas observadas há pouco, Lisboa e Porto 10 graus, Faro 15. Máxima de 13 para a capital, aguaceiros no Porto. Ponta Delgada com períodos de chuva. Funchal e Porto Santo com períodos de céu muito nublado...)

... isto é que está aqui um barbeiro... ainda ontem estava um calor africano... anda tudo avariado... andamos a estragar esta merda toda, isto um dia ainda acaba mal... estamos a tornar este mundo mais velho...

( T... S... F... por uma boa história, por uma boa notícia, vamos ao fim da rua, vamos ao fim do mundo... rotura de uma conduta de abastecimento de água... a circulação automóvel foi interrompida nos dois sentidos da Av. Infante D. Henrique, o que congestionou o trânsito nas restantes artérias da Baixa e da zona ribeirinha... o anúncio oficial ainda não foi feito mas o salário mínimo nacional deverá ser aumentado este ano para... o aumento das pensões de reforma vai crescer... aumentos claramente insuficientes...)

... isto é uma vergonha... anda aqui um indivíduo a trabalhar como um cão... o mexilhão é que se lixa, no fim é sempre o mexilhão que se fode... o senhor desculpe... agora dizem para apertarmos o cinto, mas eles não dizem é que os cintos deles têm muitos furos para apertar, agora o mexilhão... tem um, tem dois, ou nenhum... eles jogam com dados viciados, as cartas deles estão marcadas... olhe, gozam com a estupidez que é a nossa vida... Isto é um país que não dá gosto... se eu fosse 30 anos mais novo mandava-me embora daqui... Para uma pessoa que gosta de trabalhar... lá fora... aqui uma pessoa não ganha nada... olha para as mãos e não vê nada... uma pessoa quando não tem dinheiro não tem cabeça para nada... nós não conseguimos viver sem pensar no deve e haver. Olhe a TAP, então eu que nem ando de avião eu é que tenho de estar a pagar os prejuízos do avião?...

(o tubo de escape de um autocarro explode; pombos voam)

... os autocarros, por exemplo, andam a gastar gasóleo à nossa custa. Isto é só chulice...

(o táxi quase atropela um rapaz)

... olhe para aquilo... parece um paquiderme a andar... põe-te a mexer... vê lá se não queres ficar debaixo do carro...

(... o secretário de Estado saiu ontem à noite em liberdade, depois de ter sido interrogado no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa... detido no âmbito de um processo por abuso de poder e apropriação indevida de dinheiro de instituição pública... Portugal lidera a taxa de sida na União Europeia entre toxicodependentes que se injectam... arguidos implicados no tráfico de estupefacientes... assaltantes de uma bomba de gasolina de Sines estão a ser ouvidos... empresário condenado por burla agravada...)

... isto é tudo bichos, isto é uma bicharada. Cada homem tem uma besta dentro de si... está tudo maluco, e o pior é que é moda, está na moda...Hoje acordei às 7h e 30m com o gajo do prédio em frente a ouvir Beatles em altos berros... então?... então nada, até podem ser muito bons, eu é que quando acordo e abro a janela não gosto que me entrem em casa quatro gajos aos berros... andamos a pisar os pés uns aos outros... a única teoria política que eu conheço é a lei da selva... democracia é eu mandar no meu amigo, ditadura é o meu amigo mandar em mim... está escrito nos livros, só não aprende quem não quer... dizem-me: “opiniões não se discutem”, “gostos não se discutem”. Então afinal o que é que se discute?...

(... o Presidente da República... visita ao Porto...)

... qual Presidente qual caranguejo... eu bem sabia que aquele gajo era ramo quebradiço... esse gajo está ali em Belém a fazer estátua... é cão matreiro... a mim não me fazem o ninho atrás da orelha... eu há dias em que...

(move o indicador como um cutelo)

... anda tudo a sair na paragem errada... isto palavra de honra... o Porto? O melhor do Porto é o comboio para Lisboa... olhe, ainda ontem li uma notícia no jornal... na Alemanha dos comunistas, quando ainda havia lá o muro, os gajos deixavam que os velhotes visitassem a outra Alemanha na esperança que eles não voltassem, para não ter de pagar pensões, segurança social... isto um gajo chega a um ponto...

(limpa o nariz com as costas da mão e franze a metade esquerda do lábio superior; o táxi passa com dificuldade numa rua com carros mal estacionados)

... sabe o que é?, eles querem os carros ao pé da cama... cada vez estamos mais... enfim... abafados... aquele buraco ali... está a ver?... qualquer dia alguém cai ali... não há ninguém que veja aquilo... o 25 de Abril acabou com tudo... o Salazar é que tinha razão, e o resto são cantigas... agora estes gabirus...

(tosse convulsivamente)

... porra que estou cheio de tosse... “o seu mal é tosse”, como dizia o Solnado, lembra-se?, “o seu mal é tosse... tussa, tussa...”

(tosse e ri ao mesmo tempo; fica escarlate da tosse; o táxi pára atrás de um autocarro; as pessoas na paragem começam a entrar)

... está a ver aquele indivíduo ali, aquele de bigode, com a gabardine pendurada no braço, com o jornal? Aquilo é um carteirista... e a gabardine é a muleta, como lhe chamam os gajos, é para esconderem o “trabalhinho”... os tipos são como raposas no galinheiro... as velhas que já os conhecem agitam-se como galinhas quando eles entram...

(o táxi arranca, para voltar a parar numa passadeira, uma mulher atravessa a rua)

...Hui! Hui! Hui!... ó rouxinol... olhe para aquele material... aquilo é mulher por todos os lados... é mulher dos pés à cabeça... de cima a baixo... é mulher à direita, é mulher à esquerda, é mulher à frente e atrás... aquilo é uma estampa, é uma gaja de calendário... às vezes aparece-me aí cada inferno de mulher... com mini-saias do tamanho de um selo do correio... algumas puxam o vestido acima dos joelhos para provocar... se este carro falasse... um gajo quase tem de se amarrar aqui ao volante para resistir ao canto da sereia... ainda há dias apareceu-me aí uma cliente, tinha a minha idade, uma donzela de 60 anos, convidei-a pra beber um café. Disse-lhe: “vou levar-te a um sítio onde nunca foste”. Não era grande espingarda... repare, uma mulher pode não ser bonita e ser boa na cama... como eu costumo dizer, quando se atiça o lume não se olha para a chaminé...

(risos)

... olhe, escorreguei na casca de banana... a mulher não se cala, fala que se desunha... dei-lhe conversa, agora não me larga a braguilha... telefona-me, quer combinar isto e aquilo... eu sei lá, o diabo! Disse-lhe que não podia, que tinha a minha mulher doente, e é verdade, como já expliquei ao senhor... sabe o que é que ela me disse? “Espero que fiques doente da próstata!”, e desligou-me o telefone. Olhe, foi remédio santo. Com as gajas não se pode dar o braço a torcer... querem logo tudo... isto ou fazemos um braço-de-ferro ou damos o braço a torcer... não há outra hipótese... Bom, isto cada um fala de si... olhe, sabe que mais?, desgraça é não nascer... ora cá estamos... está bem assim?... são 8 euros e 35... muito obrigado eu. Deus lhe dê saúde... bom fim-de-semana também para o senhor...

João Pedro



<< Home


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Arquivo

Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007  

Outros Blogues

Abrupto
Alice Geirinhas
Álvaro Cunhal (Biografia)
AspirinaB
Babugem
Blasfémia (A)
Bombyx-Mori
Casmurro
Os Canhões de Navarone
Diogo Freitas da Costa
Da Literatura
Espectro (O)
Espuma dos Dias (A)
Estado Civil
Fuga para a Vitória
Garedelest
Homem-a-Dias
Estudos Sobre o Comunismo
Glória Fácil...
Memória Inventada (A)
Meu Inferno Privado
Morel, A Invenção de
Não Sei Brincar
Origem das Espécies
Portugal dos Pequeninos
Periférica
Prazeres Minúsculos
Quarta República
Rui Tavares
Saudades de Antero
Vidro Duplo











Powered by Blogger

This page is powered by Blogger. Isn't yours?